Estranho mundo de Luca

29 08 2009

estrnhomundo

O Estranho Mundo de Luca é um blog parceiro do Phobos e Deimos. É de humor (webcomics).

É muito bom.

http://estranhomundodeluca.blogspot.com/





Um Blog em crescimento

29 08 2009

Em apenas pouco mais de uma semana tivemos mais de 700 acessos, em média 89 por dia.

O Blog sempre foi voltado para o conhecimento técnico, tanto em Ciência e Astronomia,  mas sempre teve uma pitada de humor inteligente ou não. Nós agradecemos todos os visitantes e pedimos um pequeno  gesto de soliedaridade de indicar o blog para amigos, adicionar no orkut , etc… . Porque um blog nãoé  feito de editores, mas sim de Leitores. Também estamos abertos à parcerias, se estiver interessado em propôr uma parceria com nosso blog, é só entrar em contato pelo email phobosedeimos09@gmail.com





Déjà Vu

29 08 2009

Outra esquete muito boa do grupo de comédia inteligente inglês, Monty Python. O vídeo trata sobre o tema “Déjà Vu”. Está totalmente legendado em português. Espero que gostem!

Depois de ver esse vídeo, vote nessa enquete:





Boxhead – Um Viciante jogo em flash

29 08 2009

Postarei aqui periodicamente aqueles jogos em flash viciantes,  e facéis de jogar.

O Boxhead é um zombie rampage(Pegue sua arma e mate tudo que se mecher)

Setas ou ASDW – Movimento

Barra de Espaço – Atira

1 2 3 4 – Seleciona as armas

Clique na imagem para abrir o jogo





Curiosidades Astronômicas

28 08 2009

Curiosidade sobre o corpo humano no espaço:

– A Falta de uso das pernas deixam seus músculos semelhantes a pudins. Astronautas precisam usar bicicletas ergométricas.

– A coluna vertebral aumenta de 2 a 4 cm pela diminuíção do peso.

Sobre planetas:

– Planetas não podem crescer infinitamente. A massa de Júpiter já é gigante (317 vezes a da Terra), se Jupiter fosse ainda mais massivo do que já é, a gigantesca

Júpiter, a quase estrela

Júpiter, a quase estrela

pressão exercida no interior do planeta começaria a ser sulficiente para esmagar átomos, iniciando uma reação termonuclear que o transformaria em uma estrela.

– Nem todo céu é azul. O céu da Terra é azul porque as moléculas de nitrogênio e oxigênio, que formam a maior parte do ar de nosso mundo, filtram o componente azul da luz solar; já em Marte, o céu é laranja-rosado; em Urano, verde; em Vênus, amarelo-laranja; em Júpiter, preto sem estrelas; em Plutão, preto com estrelas.

– A Lua que vemos é a de poucos segundos atrás – tempo que a luz demora para percorrer a distância entre ela e nós; Vênus está a mais de 2 minutos; o Sol cerca de 8 minutos; Netuno, a 4 horas; e a estrela mais próxima – Alfa de Centauro – a 4 anos e 3 meses.

Meteoros e Asteróides:

– A Terra possui um vizinho estranho e errático: o planetóide Toro, observado oficialmente em 1964; em sua órbita ele faz cinco voltas entre Vênus e a Terra e depois uma volta em torno da Terra; na opinião de alguns astrônomos, um alinhamento dos planetas poderia alterar sua órbita e fazê-lo chocar-se com Vênus ou com a Terra.

Ceres, ainda não determinado se é um asteróide ou um planeta anão.

– Estima-se que para que um astro assuma a forma esférica , deve ter pelomenos 1000 km de diâmetro.  Ceres, o maior asteróide do cinturão de asteróides entre Marte e Júpiter, tem 760 quilômetros de diametro. Se tivesse os 1000Km deixaria de se um grande asteróide e passaria a ser um pequeno planeta.

– Em março de 1989, um asteróide de 815 metros de diâmetro (mais tarde batizado de 1989 FC) passou “raspando” a Terra, a uma distância apenas duas vezes maior da que a separa da Lua; se caísse no mar, o resultado seriam ondas de 100 metros de altura que engoliriam as regiões costeiras; se caísse em terra firme, a crosta do planeta se fenderia, provocando terremotos e erupções vulcânicas; milhões de toneladas de sólidos seriam arremessadas ao espaço, e reentrariam na atmosfera provocando chuvas de fogo; além disso, o barulho da queda de um asteróide é tão forte que mata todas as criaturas no raio de ação da onda de choque; a vibração pulveriza os ossos e cozinha instantaneamente a carne, como um imenso forno de microondas (o impacto de um asteróide de 2,5 quilômetros de diâmetro – que atinge a Terra, em média, a cada milhão de anos – produz uma explosão equivalente a um trilhão de toneladas de dinamite.

– Meteoros e meteoritos aumentam a massa da Terra em dezenas de milhares de toneladas todos os anos; e os raios atingem o planeta cerca de 200 vezes por segundo.

Sobre Estrelas

-A estrela Antares é tão grande que, se estivesse na posição do Sol, sua esfera açambarcaria às órbitas de mercúrio, Vênus, Terra e Marte.

Supernova

Supernova

– Se por um acaso uma das 300 estrelas que estão no espaço contido dentro de 35 anos-luz do Sol explodisse (supernova), só o saberíamos muitos anos depois, porém de forma espetacular: em questão de horas, ela se tornaria um objeto mais brilhante que o Sol, de uma luz-branca, cegante como um arco de solda elétrica; durante a “noite” haveria um “dia” azulado, irreal, as pessoas assumindo uma cor cadavérica; a tremenda radiação em breve oxidaria o nitrogênio da atmosfera; os óxidos daí resultantes consumiriam todo o ozônio da atmosfera, que nos protege da radiação ultravioleta; a essa altura, metade da população já estaria cegada; em questão de meses, toda a vida desapareceria da superfície terrestre e só restariam os vermes dos abismos marinhos para começar tudo de novo.

(Fiquei com MUITO medo dessa última curiosidade)

Veja mais curiosidades no seguinte endereço:

http://www.fortunecity.com/tatooine/servalan/272/curio.htm





Americanos propõem à Rússia expedição tripulada…

28 08 2009

A Nasa propôs nesta quarta-feira (26) à Rússia realizar uma expedição tripulada conjunta a Marte, aproveitando a experiência acumulada na Estação Espacial Internacional (ISS).

Foto da superfície de Marte, tirada por uma sonda espacial.

“Um voo pilotado a Marte deve estar a cargo de uma tripulação internacional, utilizando as conquistas científicas alcançadas no projeto da ISS”, declarou o representante da Nasa na Rússia, Mark Bowman, citado pela agência oficial RIA Novosti.

Bowman afirmou que a possível expedição conjunta seria dirigida pela Nasa e pela agência espacial russa, Roscosmos, e contaria, além disso, com uma participação mais ativa da Agência Espacial Europeia (ESA) e de outros países que colaboraram no projeto multilateral da ISS.

“Estou convencido de que a tripulação deve ser formada por representantes de muitos países”, disse Bowman. Ele insistiu em que uma viagem a Marte requer esforços de vários países para ter sucesso. Mas a própria Nasa não acredita ser possível fazer uma jornada dessa antes de 2035.

O representante da agência ressaltou que, antes de empreender a viagem a Marte, é preciso completar o projeto da ISS e realizar novos voos tripulados à Lua, para acumular mais experiência e material científico e técnico.

Até agora, a Rússia planejava realizar por sua conta voos a Marte, com o objetivo de enviar naves automáticas em 2015 e tripuladas muitos anos depois, mas a crise mundial parece ter adiado os projetos. (É o capitalismo selvagem atrasando o desenvolvimento humano!)

No entanto, diretores da Roscosmos admitem ultimamente que um país não pode enfrentar sozinho o ambicioso projeto de um voo interplanetário, que requer experiência, tecnologia e financiamento de muitas nações.

A Rússia, que acumula grande experiência em voos tripulados de longa duração, já realiza junto com a ESA simulações de viagens a Marte para testar a compatibilidade psicológica e a tolerância dos expedicionários em condições de isolamento tão longo.

Fonte: G1





Vida pode ser possível em lua de Saturno, dizem cientistas brasileiros

28 08 2009

A pergunta sempre excitou a imaginação do homem: há vida em outros planetas além da Terra? Filmes e livros já ofereceram inúmeras versões no campo da ficção. Na área da ciência, uma pesquisa reunindo astrônomos e químicos tem se aproximado mais da realidade ao recriar em laboratório as condições da atmosfera de Titã, uma das luas de Saturno.

No experimento, os pesquisadores identificaram a formação de adenina, uma das quatro bases do DNA. Isso leva à pressuposição de que, sob determinadas circunstâncias, a possibilidade de vida em Titã é bastante real.





Como seria a vida em cada planeta do Sistema Solar?

27 08 2009

Como deveriam ser os Extraterrestres para sobreviver em cada um dos planetas do Sistema Solar? Veja este exelente artigo retirado da revista Super Interessante Nº234. O artigo é meio velho, de 2006, mas é muito interessante mesmo, ainda mais pois contém ilustrações ótimas! Confira o artigo:

Mercúrio

Para resistir ao calor e frio extremos – de noite, faz um frio muito grande, de cerca de 90 Kelvin no planetinha – o nosso mercuriano teria de se esconder nas crateras dos pólos. O problema é que, sem poder aproveitar a luz solar e com uma atmosfera muito rarefeita para respirar, ele teria pouquíssima energia a seu dispor. Por isso, seria um organismo pequeno e simples, provavelmente um ser unicelular, feito de moléculas formadas de silício – substância muito comum na areia que cobre o solo do planeta.

Vênus

Nesse planeta, a temperatura média é de 480 graus Celsius. Por isso, o venusiano seria uma espécie de tatu que passaria a maior parte do tempo enterrado para se proteger do calor. Como a água só poderia ser obtida no subsolo, ele precisaria de garras para cavar e para se prender às rochas e não ser levado pelos ventos fortes que sopram por lá. As células desse bicho seriam construídas com nutrientes retirados do solo. Devido à grande concentração de enxofre, o ET federia como um ovo podre.

Marte

Para resistir à temperatura média de 60 graus negativos, o marciano teria escamas protetoras. Em suas veias correria álcool, que congela a uma temperatura mais baixa que a água. Para completar, uma membrana protegeria seus olhos das tempestades de areia. Como em Marte há gás carbônico na atmosfera e água no subsolo, o planeta poderia sustentar plantas. E o bicho seria herbívoro. Por fim, suas longas pernas o ajudariam a saltar – um meio eficiente de se locomover na baixa gravidade.

Saturno

A temperatura média de 180 graus negativos e os ventos inclementes assolam esse planeta. Imaginamos dois saturnianos: um grupo viveria nos pólos, onde os ventos são mais brandos. Suas grandes asas funcionariam como velas para propulsão e captadores de energia solar. O outro viveria no equador, onde há mais energia – e muito vento. As asas seriam menores. Sem a superfície necessária para captar energia, eles precisariam da ajuda de bactérias para fazer as reações químicas e obter energia.

mercuriano-venusiano-marciano-saturniano-superinteressante

Júpiter

Para poder voar, seu corpo teria a forma de medusa e seria oco. Os ventos entrariam pela abertura da parte inferior e inflariam o “balão”. Os imensos poros funcionariam como bocas por onde o jupiteriano absorveria os gases nutritivos da atmosfera, que seriam então distribuídos pelo organismo por meio de uma rede de canais. Para controlar a velocidade, ele contrairia o corpo como um fole. O movimento espremeria os canais internos, que devolveriam gases tóxicos ao ambiente.

Urano

Como há pouca energia, só organismos simples, como fungos, sobreviveriam. Esse planeta gira com os pólos voltados para o Sol. E a cada 80 anos, essas regiões mergulham em um inverno escuro por 20 anos. Os uranianos teriam de aproveitar os ventos para se mudar dos pólos para o equador e vice-versa, atrás do sol. Os ETs absorveriam moléculas orgânicas da atmosfera pela pele porosa. A luz provocaria reações que transformariam essas moléculas em outras, gerando calor.

Netuno

A quase 5 bilhões de quilômetros do Sol, pouquíssima energia chega até ali. Os netunianos poderiam ser fungos semelhantes aos de Urano. Devido ao frio, de até 150 graus negativos, protegeriam as células com uma substância anticongelante. Sacudidos pelos ventos, soltariam esporos (células reprodutoras) que se espalhariam em todas as direções. Germinariam nas camadas mais densas das nuvens, nutridos pelo material orgânico que há ali. Pelas hastes ocas, o ET absorveria nutrientes.

Plutão

A temperatura de 200 graus negativos não oferece nenhum atrativo para a vida. Mas e estas estruturas cristalinas? Talvez sejam vírus congelados. O astrônomo Fred Hoyle acha que o núcleo dos cometas é carregado desses microorganismos. Como Plutão tem tudo para ser um cometa adormecido, poderia haver uma colônia por lá. Essa criatura não come, não respira nem produz nada. É só um código genético dentro de uma proteína, esperando uma célula para invadir e se replicar.

jupiteriano-neptuniano-uraniano-plutoniano-superinteressante1

Fonte: Revista Super Interessante Nº234 Dezembro 2006





Que inseto é esse?

27 08 2009

Que inseto você acha que é o esse bicho da figura abaixo?

ComputerHotline_-_Syrphidae_sp._(by)_(3)

>

>

>

>

>

Já pensou?

Isso não é uma abelha, nem uma vespa, e sim uma mosca-das-flores, da família Syrphidae.

Post meio pouco relevante, postei por que não tenho o que postar, mas mesmo assim eu achei o bichinho legal.





Novo episódio de AVGN

27 08 2009

Super Pitfall:

http://www.gametrailers.com/video/angry-video-screwattack/54664?type=flv

para quem não conhece, recomendo seriamente ver os outros videos, principalmente quem gosta de jogos antigos