Hippiessauro recomenda: Streetlight Manifesto!

16 11 2013

Curte Jazz, Blues, Punk Rock? Então o Hippiessauro recomenda de hoje pode lhe interessar!
A banda que venhos lhes mostrar hoje é a Streetlight Manifesto, uma banda americana de ska punk (se não conhece vale a pena dar uma olhadinha).
É uma banda nova que começou lançando seu primeiro disco Everything Goes Numb em agosto de 2003, e até 2013 já lançaram 5 álbuns, e apesar de não ser tão conhecida,  receberam reconhecimento no cenário da música alternativa e seu álbum de estréia esteve no top 100 da Interpunk.com, mesmo 3 anos após o lançamento de seu primeiro disco. Atualmente a banda só é composta por 1 membro original, porém a qualidade não diminuiu.

“Quando ouvi pela primeira vez, já curti pra caramba” – Otávio, 2013

“Caraca meu, como eu vivi sem ouvir essa banda” – Luca, 2013

“Se fosse ruim, eu não estaria recomendando.. certo?” – Hippiessauro, 2013

Mas agora leitor, julgue por si próprio:

 

 

 

By: Hippiessauro

Traduzido por: Otávio

 

 





Experiências Nazistas durante a Segunda Guerra Mundial

16 11 2013

Quando eu falo experiências, eu quero dizer experiências médicas feitas pelos nazistas durante a II Guerra Mundial. E acredite se quiser, foram muitas, sendo que há boatos que algumas das piores experiencias não foram nem documentadas por motivos de sanidade.

Nas mãos de médicos como Josef Mengele, Sigmund Rascher, Eduard Wirths e Werner Fischer, a criatividade humana mostrou seu lado obscuro realizando experiências em judeus, ciganos, homossexuais, deficientes físicos, mentais e outras pessoas definidas como “inferiores” pelos nazistas durante o Holocausto.

Aqui vão algumas das experiencias, sendo divididas em 3 categorias para facilitar a visualização: Militar, Eugenia e Geral

MILITARES

Era feitas principalmente com o intuito de melhorar a eficácia de seus soldados no campo de batalha

 

Pressão: a fim de saber a altitude segura para os soldados, os médicos nazistas

submetiam os presos à testes de pressão onde, geralmente, eles perdiam a consciência ou

morriam com horrorosas convulsões por excessiva pressão intracraniana. Das 200

vítimas, 80 morreram durante os experimentos e os demais foram executados depois. A

baixa pressão contendo esses prisioneiros era utilizada para simular as condições a

altitudes de até 20 km, além de testar a profundidade máxima que os soldados poderiam

mergulhar em condições normais.

 

 

Continue lendo »