Júpiter perdeu uma Extensa faixa em seu Hemisfério Sul

15 05 2010

Júpiter perdeu uma das suas listras mais proeminentes, deixando o seu hemisfério sul estranhamente vazio.

Os cientistas ainda não sabem o que provocou o desaparecimento da gigantesca faixa escura. A aparência de Júpiter é tipicamente marcada por duas faixas escuras em sua atmosfera – uma no hemisfério norte e outra no hemisfério sul.

Mas as imagens mais recentes, feitas por astrônomos amadores, mostram que a faixa sul simplesmente desapareceu.

Jupiter perdeu uma faixa gigantesca em seu hemisfério sul

Foto do fim de 2009 e atual

O que intriga é que faixa estava lá no final de 2009, antes que Júpiter se movesse para perto demais do Sol para ser observado da Terra.

Quando o planeta emergiu do ofuscamento causado pelo brilho do Sol no início de Abril, o cinturão sul simplesmente havia desaparecido.

Segundo a revista New Scientist, esta não é a primeira vez que o cinturão sul de Júpiter desaparece. Ele ficou sumido em 1973, quando a sonda espacial Pioneer 10 tirou as fotos mais próximas do planeta já feitas até então. Ele sumiu temporariamente de novo no início de 1990.

As faixas escuras de Júpiter são nada mais na menos que as regiões sem nuvens de grandes altitudes (que são mais claras), deixando à mostra as nuvens de baixas altitudes, que são escuras.

“Você está olhando para diferentes camadas da estrutura de nuvens do planeta,” disse Glenn Orton, do Laboratório de Propulsão a Jato, da NASA, em entrevista à revista.

by: Pedro A.





Senhor dos Anéis ao Extremo

7 10 2009

Descoberto anel de proporções colossais em Saturno.

Não, a notícia não tem nada haver com Senhor dos Anéis, e sim com Saturno, onde foi descoberto um novo anel, gigantesco, mas gigantesco mesmo. Acredito que você ainda não sacou o quão gigante ele é… deve estar pensando que tem no máximo o dobro do tamanho do maior até então, né? Bom, veja a imagem:

Sim, ele é desse tamanho. cabe alguns milhões de Terra aí.

Sim, ele é desse tamanho. Cabem um bilhão de alinhadas Terras aí.

Cientistas da Nasa fizeram essas descoberta recentemente. O anel gigante em torno de Saturno possui um diâmetro tão enorme que caberiam alinhados 1 bilhão de planetas do tamanho da Terra.

Sua parte mais densa fica a cerca de 6 milhões de quilômetros de Saturno e se estende por outros 12 milhões de quilômetros, o que o torna o maior anel de Saturno. A altura do halo é 20 vezes maior que o diâmetro do planeta.

“Trata-se de um anel superdimensionado”, definiu a astrônoma Anne Verbiscer, da Universidade da Virgínia em Charlottesville e uma das autoras de um artigo sobre a descoberta, publicado na revista científica Nature.

“Se ele fosse visível a partir da Terra, veríamos o anel com a largura de duas luas cheias, com Saturno no meio”, comparou a cientista.

Phoebe, lua de Saturno

Phoebe, lua de Saturno

Foi necessário uma câmera de infravermelho a bordo do telescópio espacial Spitzer para fazer uma “leitura” de uma parte do espaço dentro da órbita de Phoebe, uma das luas de Saturno.

Segundo a astrônoma, o anel é praticamente invisível por telescópios que utilizam luz, já que é formado por uma fina camada de gelo e por partículas de poeira bastante difusas.

“As partículas estão tão distantes umas das outras que mesmo se você ficasse em pé em cima do anel, não o veria”, disse Verbiscer.

Os cientistas acreditam que a lua Phoebe é que contribuiu com o material para a formação do anel gigante, ao ser atingida por cometas.

A órbita do anel está a 27 graus de inclinação do eixo do principal e mais visível anel de Saturno.

Os cientistas acreditam que a descoberta do anel poderá ajudar a desvendar um dos maiores mistérios da astronomia – a lua Iapetus, também de Saturno.

A lua foi descoberta pelo astrônomo Giovanni Cassini em 1671, que percebeu que ela tinha um lado claro e outro bastante escuro, como o conhecido símbolo yin-yang.

Segundo a equipe de Verbiscer, o anel gira na mesma direção de Phoebe e na direção oposta a Iapetus e às outras luas e anéis de Saturno.

Com isso, o material do anel colide constantemente com a misteriosa lua, “como uma mosca contra uma janela”.

Fonte: Inovação Tecnológica