Júpiter perdeu uma Extensa faixa em seu Hemisfério Sul

15 05 2010

Júpiter perdeu uma das suas listras mais proeminentes, deixando o seu hemisfério sul estranhamente vazio.

Os cientistas ainda não sabem o que provocou o desaparecimento da gigantesca faixa escura. A aparência de Júpiter é tipicamente marcada por duas faixas escuras em sua atmosfera – uma no hemisfério norte e outra no hemisfério sul.

Mas as imagens mais recentes, feitas por astrônomos amadores, mostram que a faixa sul simplesmente desapareceu.

Jupiter perdeu uma faixa gigantesca em seu hemisfério sul

Foto do fim de 2009 e atual

O que intriga é que faixa estava lá no final de 2009, antes que Júpiter se movesse para perto demais do Sol para ser observado da Terra.

Quando o planeta emergiu do ofuscamento causado pelo brilho do Sol no início de Abril, o cinturão sul simplesmente havia desaparecido.

Segundo a revista New Scientist, esta não é a primeira vez que o cinturão sul de Júpiter desaparece. Ele ficou sumido em 1973, quando a sonda espacial Pioneer 10 tirou as fotos mais próximas do planeta já feitas até então. Ele sumiu temporariamente de novo no início de 1990.

As faixas escuras de Júpiter são nada mais na menos que as regiões sem nuvens de grandes altitudes (que são mais claras), deixando à mostra as nuvens de baixas altitudes, que são escuras.

“Você está olhando para diferentes camadas da estrutura de nuvens do planeta,” disse Glenn Orton, do Laboratório de Propulsão a Jato, da NASA, em entrevista à revista.

by: Pedro A.





Curiosidades sobre Urano

25 02 2010

– Em 1781 o famoso astrônomo britânico William Herschel descobriu o planeta Jorge…Jorge?! Que planeta é esse? É que Herschel havia dedicado sua descoberta ao então soberano da Inglaterra, o rei Jorge III. É claro que, por motivos políticos, muitos países protestaram contra essa decisão. Mesmo assim, durante muito tempo chamou-se o novo astro de Georgium Sidus ou, simplesmente, a “Estrela de Jorge”.

– Herschel também descobriu dois satélites de Urano e outras duas luas foram encontradas pelo astrônomo

Urano, o planeta tombado

inglês William Lassel. O filho de Herschel propôs os nomes Ariel, UmbrielTitâniaOberon, os primeiros satélites naturais cujos nomes não se originam da mitologia greco-romana. São, na verdade, personagens da literatura inglesa.

– A presença de hidrogênio e metano na atmosfera é responsável pelos tons esverdeados e azulados de Urano, que apresenta uma aparência uniforme, com umas poucas nuvens esbranquiçadas.

– Por causa da grande inclinação do eixo de rotação, quase paralelo ao plano de sua órbita, os pólos de Urano se aquecem mais que as regiões equatoriais.

– O eixo do campo magnético de Urano também possui a maior inclinação de todo o Sistema Solar, 55° em relação ao eixo de rotação. A origem desse campo é a mesma dos demais planetas: uma massa fluida, condutora, em contínuo movimento devido ao movimento de rotação.

– Em 1977 descobriu-se quase por acaso um sistema de anéis em volta de Urano, depois confirmado pela sonda Voyager 2. Não tão belos e brilhantes quantos os de Saturno, mas em seu interior foram encontrados nada menos que 18 satélites, chamados pastores, que governam as órbitas dos anéis mais finos.

– Por volta de 1850, a comunidade científica finalmente aceitou o óbvio: o sétimo planeta – depois de Júpiter e de Saturno – seria chamado Urano. Assim, o Sistema Solar refletiria a ordem cronológica sugerida pela mitologia greco-romana. Pois Urano, a personificação dos céus, é pai de Saturno e avô de Júpiter.

– Acima do núcleo, um manto gelado de água, metano e amoníaco, sobre o qual se estende a camada mais externa, uma atmosfera rarefeita composta de gás hidrogênio e metano, muito provavelmente acompanhado de hélio, com temperaturas entre -150°C e -200°C.

By: Luca Lobo





Curiosidades sobre Júpiter

21 02 2010

– Júpiter possui uma fonte interna de calor (não nuclear). Provavelmente procedente do colapso da matéria durante sua formação. No interior do planeta a temperatura alcança os 30.000°C, fluindo continuamente para o exterior.

– Em apenas 9 h e 50 min Júpiter completa uma volta em torno de si mesmo e intensas correntes

Quase uma estrela

elétricas são geradas na camada de hidrogênio metálico. A eletricidade produz um poderoso campo magnético, 14 vezes mais intenso que o terrestre e que se estende para além de Saturno, mas é invertido em relação ao nosso. Lá, a agulha de uma bússola trava rapidamente sem oscilações, e onde indicar o Norte é , na verdade, o Sul.

– Contudo, Júpiter possui uma rotação diferenciada, e os ventos ora vêm do leste, ora do oeste, entre outras direções alternativas, devido aos redemoinhos alimentados pelo gradiente térmico entre o equador e os pólos.

– A ausência de atrito com uma superfície sólida permite que furacões como a Grande Mancha Vermelha, durem mais de três séculos. Ela é um redemoinho de alta pressão onde cabem duas Terras, elevando-se acima das nuvens ao redor. Porém, os ventos de direções contrárias que circulam acima e abaixo dificultam explicações satisfatórias para sua estabilidade. Eu me pergunto, o que aconteceria se alguém fosse…sugado por esse furacão?

– Em 1979 as duas sondas Voyager descobriram um halo de poeira muito fino, que vai de 100 a 122 mil km do centro de Júpiter e um sistema de três anéis. O anel principal tem cerca de 6 mil km de espessura e se estende de 122 a 129 mil km do centro do planeta, englobando a órbita de duas luas, Adrastéa e Metis, (que são as fontes de partículas do anel). Dados recentes da sonda Galileo revelaram que um segundo anel muito tênue trata-se, a rigor, de um anel interno e outro externo, e ambos se estendem de 129.200 a 224.900 km do centro do planeta.

– Ao contrário dos anéis de Saturno, formados por blocos massivos e brilhantes de rocha e gelo, os anéis de Júpiter são constituídos por uma poeira tão fina que seriam invisíveis para alguém que estivesse em seu interior.

– As estrelas produzem energia através de uma reação chamada fusão nuclear. Dois núcleos de hidrogênio colidem, em altíssima velocidade, e se fundem num núcleo de hélio, liberando enormes quantidades de energia. Para isso acontecer é preciso haver uma colossal massa desse gás, confinada de modo a atingir pressões e temperaturas extremas, que

Io, o melhor lugar para se passar as férias

desencadeiam a reação nuclear. Júpiter, por pouco não acumula tanto gás e vira uma estrela, mas, mesmo assim, 25.000 km abaixo do seu topo gasoso a pressão atinge a respeitável marca de 3 milhões de vezes a pressão na Terra ao nível do mar.

– Io, uma das luas de Júpiter, foi um achado interessante. A sonda Voyager relatou em Io, as primeiras atividades vulcânicas fora do nosso planeta. Essas explosões de magma são mais potentes do que qualquer uma aqui na Terra (incluindo super-vulcões) e são geradas pelo grande movimento das marés. Mas, desde quando Io tem mar? Não tem, as marés lá são de terra. Devido à perturbação causada por Júpiter e duas outra luas, Europa e Ganímedes, o solo lá pode se elevar a uma altura de 100 metros.

– Na mitologia, Júpiter corresponde a Zeus, deus dos céus, dos raios, das tempestades e senhor dos deuses. E Io era uma ninfa (ou princesa, em outras versões) por quem Zeus se apaixonou.

By: Luca Lobo





WHAT’S UP!

26 09 2009

Saiba o que acontece no céu da sua cidade!

Eu, hoje, estava explorando o ótimo site do APOLO 11, uma ferramenta que nunca tinha reparado: o WHAT’S UP!

Ele se trata de uma ferramenta que lhe informa quais planetas e satélites estão visíveis da sua cidade e suas coordenadas. Também lhe informa o quarto da Lua e sua porcentagem de iluminação, e informações sobre o nascente e poente do Sol. É uma ferramenta bem parecida com o Heavens Above, site que já havia citado anteriormente, porém mais simples e totalmente em português!

Para acessá-la, clique aqui.

WHAT'S UP! - A ferramenta virtual que lhe permite saber estão visíveis no céu da sua cidade!

WHAT'S UP! - A ferramenta virtual que lhe permite saber estão visíveis no céu da sua cidade!





Curiosidades Astronômicas

28 08 2009

Curiosidade sobre o corpo humano no espaço:

– A Falta de uso das pernas deixam seus músculos semelhantes a pudins. Astronautas precisam usar bicicletas ergométricas.

– A coluna vertebral aumenta de 2 a 4 cm pela diminuíção do peso.

Sobre planetas:

– Planetas não podem crescer infinitamente. A massa de Júpiter já é gigante (317 vezes a da Terra), se Jupiter fosse ainda mais massivo do que já é, a gigantesca

Júpiter, a quase estrela

Júpiter, a quase estrela

pressão exercida no interior do planeta começaria a ser sulficiente para esmagar átomos, iniciando uma reação termonuclear que o transformaria em uma estrela.

– Nem todo céu é azul. O céu da Terra é azul porque as moléculas de nitrogênio e oxigênio, que formam a maior parte do ar de nosso mundo, filtram o componente azul da luz solar; já em Marte, o céu é laranja-rosado; em Urano, verde; em Vênus, amarelo-laranja; em Júpiter, preto sem estrelas; em Plutão, preto com estrelas.

– A Lua que vemos é a de poucos segundos atrás – tempo que a luz demora para percorrer a distância entre ela e nós; Vênus está a mais de 2 minutos; o Sol cerca de 8 minutos; Netuno, a 4 horas; e a estrela mais próxima – Alfa de Centauro – a 4 anos e 3 meses.

Meteoros e Asteróides:

– A Terra possui um vizinho estranho e errático: o planetóide Toro, observado oficialmente em 1964; em sua órbita ele faz cinco voltas entre Vênus e a Terra e depois uma volta em torno da Terra; na opinião de alguns astrônomos, um alinhamento dos planetas poderia alterar sua órbita e fazê-lo chocar-se com Vênus ou com a Terra.

Ceres, ainda não determinado se é um asteróide ou um planeta anão.

– Estima-se que para que um astro assuma a forma esférica , deve ter pelomenos 1000 km de diâmetro.  Ceres, o maior asteróide do cinturão de asteróides entre Marte e Júpiter, tem 760 quilômetros de diametro. Se tivesse os 1000Km deixaria de se um grande asteróide e passaria a ser um pequeno planeta.

– Em março de 1989, um asteróide de 815 metros de diâmetro (mais tarde batizado de 1989 FC) passou “raspando” a Terra, a uma distância apenas duas vezes maior da que a separa da Lua; se caísse no mar, o resultado seriam ondas de 100 metros de altura que engoliriam as regiões costeiras; se caísse em terra firme, a crosta do planeta se fenderia, provocando terremotos e erupções vulcânicas; milhões de toneladas de sólidos seriam arremessadas ao espaço, e reentrariam na atmosfera provocando chuvas de fogo; além disso, o barulho da queda de um asteróide é tão forte que mata todas as criaturas no raio de ação da onda de choque; a vibração pulveriza os ossos e cozinha instantaneamente a carne, como um imenso forno de microondas (o impacto de um asteróide de 2,5 quilômetros de diâmetro – que atinge a Terra, em média, a cada milhão de anos – produz uma explosão equivalente a um trilhão de toneladas de dinamite.

– Meteoros e meteoritos aumentam a massa da Terra em dezenas de milhares de toneladas todos os anos; e os raios atingem o planeta cerca de 200 vezes por segundo.

Sobre Estrelas

-A estrela Antares é tão grande que, se estivesse na posição do Sol, sua esfera açambarcaria às órbitas de mercúrio, Vênus, Terra e Marte.

Supernova

Supernova

– Se por um acaso uma das 300 estrelas que estão no espaço contido dentro de 35 anos-luz do Sol explodisse (supernova), só o saberíamos muitos anos depois, porém de forma espetacular: em questão de horas, ela se tornaria um objeto mais brilhante que o Sol, de uma luz-branca, cegante como um arco de solda elétrica; durante a “noite” haveria um “dia” azulado, irreal, as pessoas assumindo uma cor cadavérica; a tremenda radiação em breve oxidaria o nitrogênio da atmosfera; os óxidos daí resultantes consumiriam todo o ozônio da atmosfera, que nos protege da radiação ultravioleta; a essa altura, metade da população já estaria cegada; em questão de meses, toda a vida desapareceria da superfície terrestre e só restariam os vermes dos abismos marinhos para começar tudo de novo.

(Fiquei com MUITO medo dessa última curiosidade)

Veja mais curiosidades no seguinte endereço:

http://www.fortunecity.com/tatooine/servalan/272/curio.htm