Pesquisam apontam outra causa para o náufrago do Titanic

7 03 2012

A colisão do Titanic com um iceberg em 1912 pode ter sido consequência de um raro alinhamento do Sol e da Lua ocorrido mais de quatro meses antes, segundo um artigo publicado na edição de abril da revista “Sky & Telescope”.

Aproveitando a renovada fascinação em torno do naufrágio do transatlântico, pela proximidade do centenário do acidente no qual morreram aproximadamente 1,5 mil pessoas, os astrônomos da Universidade Estadual do Texas Donald Olson e Russell Doescher explicaram sua hipótese sobre a abundância de icebergs na rota da embarcação.

Na noite do dia 14 de abril de 1912, o navio, que “nem Deus era capaz de afundar”, segundo a publicidade da época, bateu em um iceberg e naufragou.

Outras embarcações que responderam aos chamados de socorro encontraram na região do Atlântico Norte uma abundância incomum de icebergs.

Continue lendo »





Como salvar a Terra em 3 passos

29 03 2010

Quer saber como salvar o planeta em 3 passos?

Continue lendo »





Curiosidades sobre Vênus

19 02 2010

– Vênus realiza uma volta em torno de seu próprio eixo num período maior que o necessário para completar uma volta em torno do Sol. Pense bem acerca dessa afirmação: isso significa que um dia em Vênus é maior que um ano.

O Melhor planeta para se pegar um bronze…

– A rotação de Vênus se dá no sentido oposto à maioria dos outros planetas. Assim, em Vênus o Sol surge do Oeste e se põe no Leste.

– Porém, a velocidade de rotação é muito lenta. Do nascer ao pôr-do-sol são quase 116 dias terrestres. Por outro lado, enquanto a nossa atmosfera leva cerca de 24 horas para dar a volta no planeta, acompanhando a rotação, em Vênus bastam 4 dias terrestres, contra os 243 de sua rotação completa. É a super-rotação da atmosfera, provocando ventos de altíssima velocidade.

– Vênus reflete 2/3 da luz que recebe do Sol, um esplendor que lhe valeu o apelido deestrela-d’Alva. Povos antigos imaginavam tratar-se de dois astros: Lúcifer, a estrela da manhã, e Vésper, a estrela da tarde. Em latim, Lúcifer significa “o que leva a luz” e apenas na tradução cristã ele é associado ao mal. Mas afinal Lúcifer talvez fosse um nome mais apropriado para o planeta Vênus, um mundo mais próximo de uma visão do inferno que da personificação do amor.

– A densa atmosfera de Vênus contribui para uma luminosidade escassa na superfície (como um dia nublado na Terra). Mas a densidade não é homogênea e produz refrações múltiplas, originando várias imagens de um mesmo objeto: do solo de Vênus é possível ver dois ou três sóis.

– A superfície de Vênus foi inteiramente mapeada por radar, revelando duas regiões que poderiam ser chamadas de continentes, pois estão acima do nível médio do terreno. Numa região chamada Terra de Ishtar (que significa Vênus para Assírios e Babilônios) ficam os Montes Maxwell, com 11.000 m, e na Terra de Afrodite, maior que o continente africano, há imensos cânions com até 280 km de largura.

– É provável que tenham existido oceanos em Vênus num passado remoto. A fúria de um Sol ainda jovem fez evaporar esses mares e expôs as rochas então submersas, liberando dióxido de carbono e dando início a um contínuo processo de aquecimento. Toda a água da superfície acabou desaparecendo.

– Vênus não possui placas tectônicas, apenas uma crosta sólida e maciça, isso exerce uma grande pressão sobre o manto de magma derretido, que quando escapa, gera uma explosão absurda.

 

 

 

Concepção artística da suposta lua de Vênus, Neith

 

– Em 1672, Giovanni Cassini observou um objeto que ele acreditou ser uma lua de Vênus, mas não relatou essa observação. Em 1686 ele viu novamente esse objeto e o apresentou como a tal lua. O objeto nunca teve a existência comprovada, mas muitas observações já foram feitas, inclusive quando foi observado um pequeno pontinho seguindo Vênus em sua travessia na frente do Sol (que pode ser observada daqui da Terra). Existem várias teorias para explicar esse objeto como um planetóide, um meteoro ou até uma ilusão de ótica causada por uma estrela qualquer, mas ninguém tem certeza.

By: Luca Lobo





Lua Cheia amarela e grande no dia 30

28 12 2009

Lua maior e amarelada nessa quarta-feira

Depois de amanhã, no dia 30 de Dezembro, a Lua nascerá pouco antes do pôr do Sol, o que fará com que ela tenha uma aparência peculiar: a famosa Lua amarela.

Com certeza todos vocês já viram uma Lua Amarela, mas não é tão comum, de fato.

Esse fenômeno ocorre apenas quando a Lua Cheia nasce cheia próxima ao horário do pôr-do-Sol. Devido à maior absorção de luz solar pela atmosfera, que deixa passar apenas os comprimentos de onda próximos ao laranja, a Lua terá uma coloração amarelada ou avermelhada. Essa coloraração pode ser ainda mais amplificada por grandes quantidades de partículas que estejam em suspensão (fumaça, incêndios, erupções vulcânicas), que absorvem as diversas cores do espectro, exceto os tons amarelos ou avermelhados.

O Sol irá se pôr às 19:56 na quarta-feira, e a Lua nascerá às 19:02. É possível conferir todos esses dados, acompanhar as fases da Lua e ver eventos incomuns aqui.

No dia 31 ocorrerá um eclipse parcial da Lua, mas só será observável no Nordeste…

by: Pedro A.





Sim, existe mesmo água na Lua…

16 11 2009

Como já tinha sido noticiado aqui no PeD, existe mesmo água na Lua…

O que acontece é que agora é que estão realmente “oficializando”.

Mas uma novidade nisso tudo, é que não são apenas alguns “orvalhos” como havíamos citado em um post aí atrás, são “baldes e baldes”, de acordo com Anthony Colaprete, cientista do projeto.

 

Aloocs mey, vai uma água mineral manolos??

Para ver a notícia completa, Clique Aqui

Brinks, clique aqui

E para ver nosso antigo post, clique aqui.

 

 





Cenas cortadas do filme Lua Nova

18 10 2009

Eu ri muito, mesmo sem saber do que esse filme se trata (além, é claro, de ter vampiros)





Senhor dos Anéis ao Extremo

7 10 2009

Descoberto anel de proporções colossais em Saturno.

Não, a notícia não tem nada haver com Senhor dos Anéis, e sim com Saturno, onde foi descoberto um novo anel, gigantesco, mas gigantesco mesmo. Acredito que você ainda não sacou o quão gigante ele é… deve estar pensando que tem no máximo o dobro do tamanho do maior até então, né? Bom, veja a imagem:

Sim, ele é desse tamanho. cabe alguns milhões de Terra aí.

Sim, ele é desse tamanho. Cabem um bilhão de alinhadas Terras aí.

Cientistas da Nasa fizeram essas descoberta recentemente. O anel gigante em torno de Saturno possui um diâmetro tão enorme que caberiam alinhados 1 bilhão de planetas do tamanho da Terra.

Sua parte mais densa fica a cerca de 6 milhões de quilômetros de Saturno e se estende por outros 12 milhões de quilômetros, o que o torna o maior anel de Saturno. A altura do halo é 20 vezes maior que o diâmetro do planeta.

“Trata-se de um anel superdimensionado”, definiu a astrônoma Anne Verbiscer, da Universidade da Virgínia em Charlottesville e uma das autoras de um artigo sobre a descoberta, publicado na revista científica Nature.

“Se ele fosse visível a partir da Terra, veríamos o anel com a largura de duas luas cheias, com Saturno no meio”, comparou a cientista.

Phoebe, lua de Saturno

Phoebe, lua de Saturno

Foi necessário uma câmera de infravermelho a bordo do telescópio espacial Spitzer para fazer uma “leitura” de uma parte do espaço dentro da órbita de Phoebe, uma das luas de Saturno.

Segundo a astrônoma, o anel é praticamente invisível por telescópios que utilizam luz, já que é formado por uma fina camada de gelo e por partículas de poeira bastante difusas.

“As partículas estão tão distantes umas das outras que mesmo se você ficasse em pé em cima do anel, não o veria”, disse Verbiscer.

Os cientistas acreditam que a lua Phoebe é que contribuiu com o material para a formação do anel gigante, ao ser atingida por cometas.

A órbita do anel está a 27 graus de inclinação do eixo do principal e mais visível anel de Saturno.

Os cientistas acreditam que a descoberta do anel poderá ajudar a desvendar um dos maiores mistérios da astronomia – a lua Iapetus, também de Saturno.

A lua foi descoberta pelo astrônomo Giovanni Cassini em 1671, que percebeu que ela tinha um lado claro e outro bastante escuro, como o conhecido símbolo yin-yang.

Segundo a equipe de Verbiscer, o anel gira na mesma direção de Phoebe e na direção oposta a Iapetus e às outras luas e anéis de Saturno.

Com isso, o material do anel colide constantemente com a misteriosa lua, “como uma mosca contra uma janela”.

Fonte: Inovação Tecnológica





Água na Lua!

25 09 2009

Sim, você leu certo. Nessa quinta-feira dia 24, foi provado o improvável. É praticamente certeza que  existe água na Lua. Em proporções minúsculas, é claro, mas ao menos 1 gota de água na Lua já é algo pra lá de interessante.

a

Nos últimos anos se vem procurando o tão precioso líquido na Lua. O mais impressionante ainda, é que os astronomos sempre esperaram achar água nas crateras da Lua, já que em muitas delas a luz do Sol é raríssima, logo, a água não evapora. Ninguém havia pensado que poderia haver água na parte que bate Sol. Mas foi justamente lá que a água foi encontrada! A água foi encontrada em grande parte da superfície da Lua!

A descoberta foi feita pela equipe da astrônoma americana Jessica Sunshine, que usando dados de duas sondas que estudaram a Lua (a americana Deep Impact e a indiana Chandrayaan-1), percebeu a presença de água na superfície da Lua. A descoberta veio da detecção de moléculas de hidroxila e de água.

a

Mas como pode haver água na Lua? Bem, a explicação vem, irônicamente, da ação do Sol. Átomos de hidrogênio existentes no vento solar provavelmente se combinam com o oxigênio existente no solo lunar, formando OH e H2O. Porém, os dados da sonda Deep Impact revelaram que havia um ciclo de criação e destruição da água. A água provavelmente se forma nos períodos em que o Sol bate rasante na superfície lunar, o que acontece pela manhã e ao fim do dia. Conforme o Sol vai subindo, a água criada momentos antes evapora, mas volta  a se formar com o entardecer (como mostra a imagem acima) .

Apesar da quantidade de água formada por este processo seja muito pequena (uma camada com a espessura de poucas moléculas), as implicações da descoberta são bastante importantes. Imagine agora que objetos tão áridos quando a superfície da Lua, como são muitos dos asteróides, devem estar formando água em suas superfícies. Aliás, os astrônomos lunares tem por décadas “caçado” água na Lua, e finalmente, a primeira evidência dela surgiu!





Telescópio Kepler em busca de satélites naturais habitáveis

24 09 2009

Desde o lançamento do Telescópio Espacial Kepler, no início de 2009, os

Consepção artística de uma lua habitável, com uma bela vista para o seu planeta gasoso. Imagina só como seria legal...

Consepção artística de uma lua habitável, com uma bela vista para o seu planeta gasoso.

astrônomos têm aguardado  a primeira detecção de um planeta semelhante à Terra, orbitando outra estrela – veja Telescópio espacial Kepler vai começar busca por outras Terras.

O telescópio, que carrega em seu nome uma homenagem ao grande astrônomo, pai da astronomia moderna, Johannes Kepler, tem como principal objetivo encontrar planetas extrassolares, principalmente habitáveis.

Mas agora, a idéia está indo até mais longe.  Uma equipe de cientistas da Universidade College London, comandada pelo Dr. David Kipping, acredita que será possível descobrir até mesmo “exoluas” – luas dos planetas extrassolares, também conhecidos como exoplanetas.

Para detectar planetas extrassolares, é necessário que estes apresentem um movimento “especial”, como passar na frente de sua estrela mãe, ou “balançar” durante sua órbita.

Quais as condições para uma lua ser habitável?

Se um planeta parecido com Saturno estiver a uma distância adequada de sua estrela, então a temperatura permitirá que a água em estado líquido e seja estável em luas suficientemente grandes, tornando-as potencialmente habitáveis.

Os astrônomos descobriram que exoluas habitáveis com apenas 20% da massa da Terra serão facilmente detectáveis com os instrumentos do Kepler.

Potencialmente, o telescópio poderá procurar luas habitáveis do tamanho da Terra ao redor de mais de 25.000 estrelas, localizadas a até 500 anos-luz do Sol. No céu inteiro, há milhões de estrelas que poderiam ser rastreadas em busca de exoluas habitáveis contando-se tão-somente com a tecnologia atual.





We Choose the Moon!

17 09 2009

Bom galera, descobri esse site na semana em que a missão Apollo 11 completou 40 anos.  O site é, na verdade, uma homenagem à missão.

Possui rico conteúdo em fotos e vídeos da missão e do presidente dos EUA na época, J.F. Kennedy. É possível, também, ouvir as vozes de alguns dos que participaram do acontecimento.

>> WWW.WECHOOSETHEMOON.ORG

O site é totalmente interativo, onde você também deve passar por todas as fases da missão.

Ao final da “jornada”, você poderá imprimir um certificado de participante da Apollo 11.

Espero que gostem! ;-D