Sonic será personagem jogável em Super Mario Galaxy 2!!!

8 02 2010

Mascote-símbolo da Sega, Sonic será um personagem jogável do game “Super Mario Galaxy 2”, da

*_*

Nintendo. A informação foi divulgada pela revista inglesa “Ngamer”, especializada em plataformas da Nintendo, por meio de uma mensagem no Twitter. Segundo a revista, Sonic estará em Green Hill Galaxy, um dos cenários do game. Não será a primeira vez que Sonic e Mario dividirão espaço no mesmo jogo. Os dois coestrelaram “Mario & Sonic at the Olympic Games” e “Mario & Sonic at the Olympic Winter Games”. Além disso, Sonic também aparece em “Super Mario Galaxy 2”, exclusivo para Wii, utiliza cenários 3D e leva os personagens a explorar planetas peculiares. O jogo original foi lançado em novembro de 2007, e colecionou críticas positivas de fãs e imprensa especializada. A nova versão do game deve ser lançado ainda neste ano.

By: Luca Lobo





Dica de jogo

8 02 2010

Super Smash Flash é um jogo super-maneiro online e grátis que você deveria experimentar.

Clica na imagem para jogar!

By: Luca Lobo





Review: Super Mario Galaxy

2 02 2010

Wii

A primeira grande aventura do Mario para Wii, que receberá uma grande sequência em breve!

Mario se diverte!

História

A nova princesa da Nintendo

A história básica do Mario. Bowser inventou mais um jeito mirabolante de raptar a princesa. Só que dessa vez, além do reino do cogumelo, o grandão também quer ter a sua própria galáxia! Durante um festival que acontece no reino a cada 100 anos, Bowser ataca o castelo com seus navios voadores, canhões de cristais, e Magikoopa e Bowser jr. ao seu lado. Ele sai vitorioso e não leva só princesa, mas o castelo inteiro também (e Mario de bicão), e ruma ao espaço. Quando lá, Mario tenta um ataque surpresa, mas é surpreendido por Magikoopa, que o deicha inconciente e o joga do castelo. Mario acorda em um planeta diferente onde encontra Rosalina que lhe conta o plano de Bowser, destruir essa galáxia e construir uma nova onde ele reina. Para isso ele deve usar as Grand Stars, as amiguinhas superpoderosas da princesa do universo Rosalina.. Agora Mario não deve só salvar o reino, mas o universo inteiro!

Mas, calma! Luigi também se encontra na aventura, te ajudando a encontrar estrelas novas, e depois que você coletar todas as 120 estrelas ele se torna um personagem jogável…. e se você pegar as 120 estrela com ele, verá um final secreto! A Diversificação de items, personagens, inimigos, fases, etc. estão todos presentes.

Gráficos

Bons, coloridos, atraentes, envolventes, extremamente detalhados, essas coisas. Mas! Um grande problema nesse jogo com relação aos gráficos foi textura, exemplos: As roupas do Mario e do Luigi parecem feitas de veludo, assim como as escamas do Bowser (especialmente nas cutscenes, onde dá para ver melhor os personagens e os objetos), e de outros personagens, o que não é legal (veludo me dá aflição), além de comprometer o realismo do jogo. Mas, no resto o jogo é lindo, as estrelas, os castelos, os planetas, tudo muito bonito, com certeza, de tirar o fôlego, um dos melhores gráficos do Wii.

Nota: 9,5

Som

A música é linda! Gravada por uma orquestra real, ela faz um belo trabalho nesse jogo. As vozes e gemidos e afins dos personagens também são muito bem gravados e colocados, e ficam muito melhor se você tiver um Soround System.

Nota: 10

Jogabilidade

Pra que foi feito o controle do Wii? Para dar mais realismo na hora de jogar, quando tem poucos movimentos, estraga,

Mario usando um de seus novos power-ups, a Ice Flower

quando os movimentos são usados exageradamente, também estraga. Super Mario Galaxy consegue equilibrar isso e tornar a experiência muito agradável. Os controles são básicos, movimente o Mario com o Nunchuck e ataque balançando o Wii remote. Quer mais? Ótimo, pois existem galáxias (Bubble Blast Galaxy, Bubble Breeze Galaxy, Loopdeeloop Galaxy, Loopdeeswoop Galaxy, Roling Gizmo Galaxy e Rolling Green Galaxy) que apresentam um upgrade de dificuldade nos controles. Nas galáxias em que você está dentro de uma bolha o seu “mouse” na tela vira um soprador de bolhas, o qual você deve usar para movimentar sua bolha, mas é mais difícil do que parece, assim como a da bola de gude gigante, na qual você deve inclinar o controle pra frente, pros lados, e pra trás para controlar a bola de gude em uma pista enorme de acrobacias. E finalmente, as galáxias na qual você surfa em uma arraia, nelas, você deve curvar o controle pros lados para controlar a arraia, numa enorme pista aquática. Fora isso, os controles são lidos muito bem pelo Wii, ou seja, sem problemas.

Nota: 10

Diversão

Extremamente divertido! Mas certas fases podem frustrar bastante, por serem difíceis para jogadores casuais, e as vezes até para os hardcores. Mas ele pode ficar bem mais fácil se você chama um segundo jogador para te ajudar. O player dois (nada mais que um segundo “mouse”) tem habilidades muito úteis como congelar inimigos e asteróides e te dar um upgrade no pulo, então, chame seu irmão(a) para jogar!

Nota: 9,0

Replay

Esse jogo contém o fator “várias estrelas para coletar” o que faz dele extremamente viciante até que se complete o jogo, com o Mario e depois com o Luigi. Mas a falta de minigames compromete o divertimento depois que o jogo é “zerado”.

Nota: 8,0

Conclusão

Mais um magnífico jogo do Mario,uma verdadeira seqüência do Super Mario 64, um must-buy para qualquer jogador, hardcore ou não. Mesmo por que, diz a lenda que a Rosalina só é destravável no Mario Kart se você tiver um save de Super Mario Galaxy.

Nota Final: 9,3

PS: Meio paga-pau do Pedro meu review….tô triste….

By: Luca Lobo





Momento Filosófico… #3

29 01 2010

by: Pedro A.





Jogos do bigodudo que você não conhecia!

21 01 2010

Wrecking Crew (NES, 1985)
Talvez não tão raro quanto o resto dos jogos mostrados aqui, Wrecking Crew (traduzido como a “equipe de demolição”) foi incluso pelo fato de que poucas pessoas imaginam ser um jogo do Mario. Quase todo mundo tem a tendência de se lembrar de Donkey KongMario Bros.Super Mario Bros. como os primeiros jogos do encanador, mas, lançado alguns meses antes de Super Mario Bros., Wrecking Crew traz Mario e Luigi (na época vestido de roxo ao invés de verde) se instalando em construções e demolindo escadas, colunas e blocos em uma ordem particular pra poderem passar a fase. Ele foi refeito para o Super Nintendo mais tarde no Japão como Wrecking Crew ’98, desta vez com uma história mais profunda envolvendo uma lição de ambientalismo.

Super Mario Bros. Special (PC88)
Sabia que existe uma versão de Super Mario Bros. que não foi programada pela Nintendo? A companhia costumava licenciar os direitos de seus jogos pra outros desenvolvedores, pra que pudessem reproduzir jogos da Nintendo em outros sistemas (caso em questão: Donkey Kong nos sistemas do Atari). Um desses jogos foi Super Mario Bros. Special, uma versão do Super Mario Bros. original que foi desenvolvida pela Hudson e lançada para o NEC PC-9901 (o equivalente japonês do ZX Spectrum ou o Commodore 64). O sistema foi tão fraco que não conseguia suportar a ação de rolagem lateral do NES, então ele era jogado através de um número de telas paradas. O jogo possui novos ítens: o Hachisuke lembra a abelha do logo da Hudson, e se Mario o encontrar, será premiado com 8000 pontos; o Relógio acrescenta 100 segundos ao Timer; a Asa faz com que Mario aja como se estivesse nadando no ar; a Lucky Star é somente encontrada no Mundo 4-1, e tem a aparência de um átomo. Se Mario a coletar, todos os inimigos da fase serão destruídos. Também está presente o Martelo de Donkey Kong, trazendo de volta os mesmos poderes. Apesar da realização técnica impressionante, considerando como o PC-8801 era muito mais fraco, ainda é um jogo ruim pra caramba. Super Mario Bros. Special é o verdadeiro jogo perdido da série Bros.

All Night Nippon Super Mario Bros. (Famicom, 1986)
O programa de rádio All Night Nippon é extremamente popular no Japão, e continua até os dias de hoje. Em 1986, uma versão especial de Super Mario Bros. foi lançada, na qual os inimigos e Toads do jogo eram baseados em astros famosos da música e DJ’s do All Night Nuppon. As fases do jogo são uma mistura de Super Mario Bros. com Super Mario Bros.: The Lost Levels (conhecido lá no Japão como Super Mario Bros. 2) e as mudanças ocorridas foram: Goombas e Plantas Piranha foram substituídos por DJ’s cabeçudos; microfones substituíram os cogumelos encontrados no plano de fundo; o logo da Fujisankei (a companhia por trás de All Night Nippon) é encontrado na bandeira do final das fases e nos machados das lutas contra Bowser; os Toads e a Princesa Peach foram transformados em celebridades japonesas; a Starman mudou pra uma Estrela de Davi com um pontinho no meio; ao invés de dizer “1-player game” e “2-player game”, o título diz “Mario Game” e “Luigi Game”, embora isso signifique 1 player ou 2 players; nuvens e arbustos agora têm rostos, e o chão tem uma nova aparência; Mario, quando para de correr, faz o mesmo barulho de Super Mario Bros. 3; o level 1-1 e a parte final da saída de todas as fases subterrâneas e subaquáticas foram mudadas pra noite. Se não estiver escutando o All Night Nippon, você provavelmente nunca mais vai ouvir falar desse jogo…

Kaette Kita Mario Bros. (Famicom, 1986)
Normalmente conhecido como Return of Mario Bros.Mario Bros. ReturnsKaette Kita Mario Bros.é praticamente uma versão melhorada de Mario Bros. (não o “Super”, pra deixar claro). Junto a gráficos melhorados, as fases eram mais fiéis ao fliperama original e a habilidade de mudar a sua direção no ar (aeeeeeh) foi adicionada. O jogo também foi patrocinado pela empresa de alimentos Nagatanien, o que significa que os jogadores viam propagandas de curry entre as fases. Essa é uma das primeiras ocorrências de propaganda em video games, devemos lembrar (e acredito que era bem efetiva). Esse jogo não somente é raro, como também vai te deixar com água na boca e babando pacas.

Mario Teaches Typing (PC, 1991)
Pode parecer estranho agora, mas há 18 anos atrás, os PCs eram incomuns, e digitar num teclado ainda era difícil, resultando numa porrada de programas de tutorial para digitação. Então, pra ensinar a criançada a digitar, a desenvolvedora de PC’s Interplay contatou a Nintendo e obteve os direitos de fazer um jogo de digitação estrelando Mario. Existem quatro jogos de digitação no total, e você pode escolher entre Mario, Luigi e Peach como seu tutor. O jogo é bem fiel à série Mario, incluindo o fator clássico de quebrar blocos; mas ainda assim, foi considerado um “jogo” ruim pela crítica geral.

Série Mario’s Early Years (SNES, 1993)
Temos o maior respeito pelas companhias que tentam fazer uso desses personagens populares pra encorajar crianças a aprender coisas. Mas ainda é algo pro qual gente grande vai olhar, dar uma risada e dizer “ah, Mario, seu baixinho popular”. Lançada em três jogos separados,  Fun With Letters (“Diversão com as Letras”), Fun With Numbers (“Diversão com os Números”) e Preschool Fun (“Diversão Pré-Escolar”), esses jogos foram desenvolvidos pela Software Toolworks e eram basicamente jogos simples de números e literatura estrelando Mario, Peach, Luigi e Yoshi. Se você é um fã do Mario, isso até que vai te agradar e arrancar um sorriso do seu rosto (e te ensinar a falar inglês, cara). Duvido que não tenha uma sensação boa ao ver a Peach abraçando o Yoshi na palavra “hug“.

Mario’s Time Machine (NES/SNES/PC, 1994)
Quando o assunto é jogos de edutainment do Mario, todo mundo fala sobre Mario is Missing. Mas poucas pessoas se lembram de Mario’s Time Machine. Ambos os jogos são similares, mas embora Mario is Missing tivesse tido Luigi viajando pelo Mundo Real e aprendendo sobre países, Mario’s Time Machine mostra Mario viajando por diferentes períodos da história do Mundo Real e aprendendo sobre figuras históricas. Infelizmente, o jogo tinha muito “edu”, e pouco “tainment”. A única coisa legal do jogo era o surfe em 3-D. O surf do Mario arregaçava bolas.

Super Mario Wacky Worlds (CD-i, cancelado)
Quando a Nintendo decidiu fazer um aplicativo para CD-i no Super NES, ela formou uma parceria com a Sony. Após o acordo com a Sony ter sido abalado, a Nintendo se aproximou da Phillips ao invés disso. Embora esse acordo também tenha dado errado, a Phillips ainda tinha permissão contratual de fazer jogos baseados nos personagens da Nintendo para o CD-i. Seu primeiro projeto foi Super Mario’s Wacky Worlds, um tipo de sequência de Super Mario World. O hardware extremamente limitado em 2D do CD-i (somado ao fato de que dois dos três desenvolvedores do jogo foram embora pra trabalhar na EA) significou que o projeto simplesmente tinha de ser riscado. O roteiro seria um tipo de viagem ao Mundo Real, então não dá para certeza se seria um sucesso de vendas. E a Sony? Ela pesquisou sobre o acordo falho com a Nintendo pra fazer seu próprio console, o PlayStation. Traição. Traição!!

Hotel Mario (CD-i, 1994)
Após fracassar com Super Mario’s Wacky Worlds, a Phillips decidiu que eles poderiam fazer algo com a licença sobre o Mario enquanto eles ainda a tinham. Então, eles desenvolveram o Hotel Mario, um puzzle onde Mario deve fechar todas as portas de cada fase. As cenas desse jogo eram risíveis e pareciam ter sido desenhadas no Paint por uma criança. O sotaque nova-iorquino de Mario, bem grave, dava a impressão de que ele fumava 40 cigarros por hora. O jogo foi um fracasso total, massacrado pelas críticas, mas como há sempre um lado bom em tudo, ele possui referências legais: quando Mario diz “get off my cloud!” (“saia da minha nuvem!”), faz referência à música Get Off My Cloud, dos Rolling Stones; quando ele diz “I ain’t afraid of no Koopas!” (“não tenho medo de Koopa nenhum!”), faz referência à frase “I ain’t afraid of no ghosts“, da música-tema de Os Caça-Fantasmas. É fácil conferir as cenas de Hotel Mario no YouTube, visto que ele é um forte alvo de YouTube Poops (you know what they say… All toasters toast TOAST! And YOU, go to hell! Dear plumbers… Check the enclosed instruction book! Book! Book! Book! Book! Book!).

Mario Clash (Virtual Boy, 1995)
Mario Clash foi um jogo lançado pro infeliz sistema portátil da Nintendo, o Virtual Boy. Já que o Virtual Boy nunca foi lá grande coisa, Mario Clash é um dos mais raros desta lista. Ele foi basicamente uma versão 3-D de Mario Bros.O objetivo era acertar os inimigos arremessando cascos de Koopa Troopa neles de um lado ao outro da tela (dividida entre a parte da frente e a parte do fundo). Isso resultava num sensacional efeito tridimensional que dava a sensação de que havia mesmo uma profundidade genuína no campo. Foi um jogo ótimo, mas pouquíssimas pessoas o experimentaram.

Excitebike: Bun Bun Mario Battle Stadium (SNES, 1997)
Durante a popularidade do Super Famicom no Japão, a Nintendo apresentou o sistema Satellaview. Basicamente, foi um modem de satélite para o SNES que permitia que os jogadores fizessem o download de jogos todas as semanas. Muitos desses jogos eram remakes atualizados de clássicos do NES, e um desses remales era Mario Excitebike, um remake de (você já sabia)Excitebike com os personagens humanos substituídos por personagens do Mario. Era um título muito divertido, com a mesma jogabilidade viciante de Excitebike, mas com gráficos vastamente melhorados. Visto que foi somente um jogo de download via satélite e nunca mais foi relançado em qualquer outro formato, Mario Excitebike é um dos jogos mais raros do Mario de todos os tempos.

 

Mario’s FUNdamentals (PC, 1995)
Também conhecido como Mario’s Game Gallery, o jogo é uma coleção de cinco jogos tradicionais – go fish, dominó, yacht, gamão e damas – os quais você deve jogar contra Mario. Acredite ou não, esse jogo marca a primeira vez em que Mario foi dublado por Charles Martinet. Não, não foi Super Mario 64. Apesar disso, “It’s-a me, Mario” ainda é excessivamente mais popular do que “It’s-a my turn now” ou “Go fish?“.

Undake30 Same Game (1995)
Também conhecido como “UNDAKE30 Same Game Taisakusen Mario Version“, ou provavelmente não conhecido de jeito nenhum, foi um puzzle lançado pra Super Famicom. Ele podia ser controlado pelo controle convencional ou pelo glorioso mouse do Super Famicom (cuja função foi trazida de volta em títulos como Mario Vs. Wario, pra Super NES), e era similar ao jogo de cartas Monte Carlo. Você vê um enorme campo composto por um arranjo de Cabeças do Mario, Moedas, Ovos do Yoshi, Flores de Fogo e Super Cogumelos, e deve fazer combinações espertas pra fazer com que tudo desapareça sem sobrar nada. Essa ideia foi usada novamente no minigame Pair-a-Gone de Super Mario 64 DS.

Super Mario Bros. & Friends: When I Grow Up (1991)
Traduzido como “Super Mario Bros. & Amigos: Quando Eu Crescer”, é um jogo para PC lançado em 1991. Sua jogabilidade era similar a de um livro de colorir, ou aos modelos prontos de Mario Paint, onde você tinha de colorir diferentes cenas. Tão rara é essa criança que nem o MarioWiki têm informação o suficiente.

Fonte : Reino do Cogumelo

By: Luca Lobo





O jogo perfeito

20 01 2010

O jornal americano LA Times fez uma matéria na qual descrevia items que poderiam ser agrupados em um único game pra fazer o jogo perfeito, aí estão os tais items:

– A portabilidade de God of War: Chains of Olympus
– A configuração do controle de Super Smash Bros. e Super Mario Slugger
– Os pontos positivos do “xadrezismo” de ‘Tom Clancy’s Rainbow Six Vegas 2’
– Os quebra-cabeças de ‘Professor Layton and the Curious Village’
– A simplicidade de Boom Blox
– As transações de cena impressionantes de ‘Devil May Cry 4’
– A diversão de ‘Lego Indiana Jones’
– As excitantes corridas de ‘GRID and Burnout Paradise’
– A capacidade de se jogar outra vez de ‘Sid Meier’s Civilization Revolution’
– As aventuras e estranhices de ‘Dead Space’
– A fofura e criatividade de ‘Little Big Planet’
– Simplesmente tudo de ‘Resistance 2’
– As pancadas nos botões dos joysticks de ‘Mortal Kombat vs. DC Universe’
– A originalidade de ‘Air Traffic Chaos’
– As monstruosas guerras de ‘Call of Duty: World at War’
– A originalidade de ‘Mirror’s Edge’
– A abertura sem sentido de ‘Grand Theft Auto IV’

Mas, será que é possível misturar tantos items diferentes de tantos jogos diferentes e formar um jogo realmente bom? E como o jogo se chamaria? Provavelmente, God of Super Slugguers: Lego Rainbow Professor Box May Cry – Paradise Revolution Little Mortal Space Vs. Air Duty Mirror Theft 4.

By: Luca Lobo





Iwata diz que existem 100 milhões de Miis nos EUA e no Japão

15 01 2010

Os Miis, os avatares criados pelos jogadores de Wii e utilizados em alguns games como ‘Wii sports’, possuem uma

população de 100 milhões no Japão e nos Estados Unidos. A estimativa foi divulgada pela Nintendo.
De acordo com o presidente da companhia japonesa, Satoru Iwata, o número se divide em 20 milhões de Miis em território japonês e 80 milhões nos EUA. Os dados divulgados em um seminário nesta sexta-feira (15) não informam o número de avatares criados na Europa e no resto do mundo.
O número de Miis, contudo, pode ser bem maior. Iwata disse que é impossível calcular o número de personagens virtuais criados em consoles que não estão conectados na internet e nem os que já foram excluídos pelos usuários.

By: Luca Lobo





Review: Mario Kart Wii

14 11 2009

Mario Kart começou em 1992, com um jogo para o SNES, que rapidamente virou febre, assim sendo, várias seqüências foram feitas para o tão amado jogo. Incluindo (duh!) a qual eu vou avaliar hoje. O jogo foi o primeiro a utilizar o Wii Wheel, o volante (um pedaço de plástico, sem nenhuma função em si, a não ser garantir mais conforto na hora de segurar o controle, além de tornar tudo mais real), mas lembre-se, você não é obrigado(a) a usa-lo. Começamos o jogo com uma quantidade razoável de personagens e algumas pistas. A cutscene inicial, a introdução ao jogo é uma b****. O Mario e o Luigi sentados no nada, com um volante se esbofeteando, é capaz de desanimar o jogador, mas não se deixe enganar, pois o jogo é bom. Ao longo do jogo você vai destravando personagens, carros, pistas e…motos? Quando isso virou Mario Bike? A novidade parece, estranha para jogadores fieis, mas te garanto, não diminui a diversão, na verdade, aumenta considerando que carros e motos têm seus defeitos e qualidades, além do charme, ou seja, cabe a cada jogador escolher se prefere uma Torpedo (moto) ou um Piranha Prowler (kart). A diversificação, marca registrada da série Mario, também está presente nesse jogo, com 12 tipos de veículos (6 carros, 6 motos) para cada um dos 3 tipos de pesos (leve, médio, pesado), 24 personagens mais o Mii com duas roupas diferentes, 32 pistas, sendo 16 novas e 16 retros, 19 items para te ajudar..Enfim, muita coisa. E depois que você destravar tudo isso? Chame seus amigos para

Mario-kart-wii

Mario e sua turma no melhor jogo da série Kart

jogar! Com suporte para até 4 jogadores, com ou sem a Wii Wheel, a diversão é garantida, ou jogue on-line com quem você nunca viu antes! O modo on-line é fantástico, para até 12 amigos, ou 12 desconhecidos, você pode acabar jogando com 1 asiático, 3 americanos, 1 inglês, 1 francês, uma australiana, etc.. Esse é realmente o melhor modo do jogo. Os gráficos são bonitos e coloridos, tudo muito bem polido e com um belo efeito de luz, mas nada estupendamente UAU! A música é boa, não que você vá prestar muita atenção nela, de novo, nada muito OH! Mas encaixa. Mesmo com esses defeitos, esse game ainda é um must-buy para donos de wii, são horas e horas de diversão garantidas, ou seu dinheiro de volta.

 

 

Gráficos: 8

Som: 8

Jogabilidade: 9,5

Diversão: 10

Replay: 10

Nota final: 9,1

PS: Ei! Alguém viu meu DS!?





Review: Super Mario 64

11 11 2009

A partir de agora, começarei a fazer reviews de jogos, ou seja, avaliando eles, e como esse é o meu primeiro review, vou escrever sobre meu primeiro game: Super Mario 64.
Quem não conhece o Mario? Não, não é aquele que te comeu atrás do armário…
Super Mario 64, mesmo não sendo o primeiro jogo 3D do mundo, revolucionou essa técnica. Até hoje, games, copiam sua jogabilidade, mas nenhum com tanta perfeição, é considerado um dos melhores jogos existentes, se não o melhor. Seus gráficos (pra época) eram perfeitos, a música é fenomenal, tudo era do bom e do melhor, extremamente bem feito. MAS, todo game tem seus defeitos né? Os defeitos desse jogo são….são…..nenhum, ou quase nenhum, quer dizer, algumas besteirinhas que poderiam ter dado um upgrade na experiência, como, o Luigi pelo menos ter aparecido, ou ter o modo multiplayer,. A câmera também não ajuda, muitas vezes sendo extremamente SM64complicado e frustrante de tentar olhar ao seu redor, e te atrapalhando muito na hora de passar por áreas estreitas, mas nada que a prática não resolva. Os “mundos” são imensos, totalmente interativos, e divertidos de explorar, com várias temáticas como por exemplo: Castelo, água, gelo, fogo, deserto, etc. O jogo todo contem uma diversificação surpreendente de inimigos, fases, ataques… Brincando, são umas 60 horas para derrotar o chefão final (bowser), e o jogo não acaba aí, depois você tem pegar todas as estrelas e encontrar o yoshi. A história já é manjada, mas quem não gosta de salvar a princesa? E se a fórmula funciona….Esse jogo, com certeza garante horas e horas de diversão, e eu recomendo, se você já tem, vai jogar! Se não tem, compre pela internet, em lojas de usados, ou baixe pelo Virtual Console do Wii, não tem Wii nem Nintendo 64? Se ferrou.

Gráficos: 10
Som: 10
Jogabilidade: 9
Diversão: 10
Replay: 10
Nota final: 9.8

PS: L is real 2401





Back in the U.S.S.R.

17 09 2009

Todos nós sempre acreditamos no nosso grande amigo Super Mario, fiel guerreiro, que sempre salva a princesa Peach e derrota o malvado Bowser. Porém, existe também a Face Oculta do Mario, que ninguém conhecia ou sim:

É, parece que Mario sempre escondeu sua verdadeira personalidade, e o fato de não ser um italiano bigodudo, e sim um socialista soviético bigodudo.

E a Nintendo que vêm nos enganando todos esses anos…

Bom, só há uma coisa para ser dita nessa situação… HAIL STALIN! (brinks)