Tempestade Solar chega hoje a Terra

8 03 2012

Nesse exato momento, a Terra está recebendo ondas de radiações vindas de explosões solares. Conhecidas como ejeções de massa coronal, essa ondas na verdade são explosões que acontecem no Sol e lançam partículas no espaço.

Imagem ultravioleta do Sol, pode-se observar os pontos mais brilhantes.

O fenômeno começou a ser notado no último domingo, quando uma grande explosão na região central do Sol produziu uma tempestade de ondas solares capazes de viajar a uma velocidade de 6,4 milhões de quilômetros por hora. A radiação começou a chegar à Terra uma hora mais tarde e continuará até quarta-feira, mas seu ápice será atingido ao longo do dia de hoje.
Apesar da força do radiação, considerada a maior desde 2005, os danos não serão perceptíveis pela grande parte da população. De acordo com a Administração Nacional de Oceanos e Atmosfera (NOAA) dos Estados Unidos, o maior dano será uma tempestade geomagnética que poderá danificar, sobretudo, os satélites de comunicação que orbitam a Terra. As falhas na comunicação deverão trazer riscos mais eminentes apenas para vôos que operarem nas regiões próximas aos pólos e para astronautas que estiverem pelo espaço.
As tempestades solares são classificadas em A, B e C para as mais fracas, M para as moderadas e X para as mais fortes. A que estamos vivenciando agora é de classificação M9, a mais forte dentre as moderadas.





Pesquisam apontam outra causa para o náufrago do Titanic

7 03 2012

A colisão do Titanic com um iceberg em 1912 pode ter sido consequência de um raro alinhamento do Sol e da Lua ocorrido mais de quatro meses antes, segundo um artigo publicado na edição de abril da revista “Sky & Telescope”.

Aproveitando a renovada fascinação em torno do naufrágio do transatlântico, pela proximidade do centenário do acidente no qual morreram aproximadamente 1,5 mil pessoas, os astrônomos da Universidade Estadual do Texas Donald Olson e Russell Doescher explicaram sua hipótese sobre a abundância de icebergs na rota da embarcação.

Na noite do dia 14 de abril de 1912, o navio, que “nem Deus era capaz de afundar”, segundo a publicidade da época, bateu em um iceberg e naufragou.

Outras embarcações que responderam aos chamados de socorro encontraram na região do Atlântico Norte uma abundância incomum de icebergs.

Continue lendo »





Ihh.. Sumiu mais um planeta!

28 02 2012

Você sabe como fazer um planeta sumir? Fazer com que ele trombe com outro bem maior é um jeito. Meio bruto e complicado, mas pode ser. Mas tem um jeito mais fácil. Qual? Procurar direito.

Em 2008 foi anunciado que o telescópio espacial Hubble observou Formalhaut –uma estrela a apenas 25 anos-luz de distância da Terra que possui um disco circunstelar. Esse disco, que consiste de restos da formação da estrela, poderia ser na verdade um disco protoplanetário, ou seja, um disco de gás e poeira que viria a formar planetas no futuro.

Tudo começou em 2004. Como Formalhaut está pertinho, estruturas mais fracas ao seu redor poderiam ser reveladas com uma técnica simples de ocultar a estrela e seu forte brilho. Com isso, o disco foi observado e uma análise cuidadosa mostrou uma pequena mancha brilhante bem suspeita. Seria um planeta? Em 2006 a observação foi repetida de maneira idêntica e… bingo! A manchinha brilhante se mexeu como se esperaria de um planeta! A notícia correu o mundo, afinal, era um planeta detectado diretamente. A imensa maioria dos exoplanetas são descobertos de maneira indireta, seja por “mini eclipses” nas estrelas hospedeiras, seja pelo “bamboleio” gravitacional promovido durante a mudança de posição em suas órbitas. Esse exoplaneta foi batizado de Formalhaut b.

Continue lendo »





As 5 coisas mais impressionantes e bizarras do Universo.

27 02 2012

Ah! O universo, lindo em sua maximidade, perfeito em sua infimidade e absurdo como ele próprio. Tão grande que se o universo conhecido fosse do tamanho de uma moeda de 5 centavos, o verdadeiro (estipulado) universo teria o tamanho da Terra. Grande o suficiente e esquisito o suficiente para que certas coisas, que mais parecem ficção científica, acabem se revelando verdadeiras. E é por isso que hoje apresento-lhes, uma lista com as coisas mais bizarras e incríveis já encontradas lá fora. Então se encoste, relaxe, ligue a música e se prepare para viajar pelos cantos mais esquisitos do cosmo.


Continue lendo »





NASA capta imagem de erupção gigante no Sol.

20 04 2010

A erupção chegou a uma altura de 804,5 mil km

Continue lendo »





Imagens em alta definição mostram superfície do Sol

18 11 2009

O telescópio SUNRISE, cuja construção foi liderada pelo Instituto Max Planck para Pesquisa do Sistema Solar, na Alemanha, registrou imagens da superfície do Sol em uma resolução inédita. Movimentadas por campos magnéticos, porções de gás sobem e descem e nuvens de matéria são ejetadas, dando à superfície solar sua estrutura granulada.

Aí vão as imagens:

 

Cada imagem mostra a mesma região solar em quatro comprimentos diferentes de onda, como está indicado na lambda acima de cada foto. A escala é de 1 - 20000.

O telescópio que pesa mais de 6 toneladas, foi lançado de uma base na Suécia em 8 de junho e levado por um balão de hélio de 130 metros de diâmetro a uma altitude de 37 quilômetros. De lá, na estratosfera, as condições de observação são similares às do espaço: as imagens não são prejudicadas por turbulência (está acima do nível das nuvens, e o ar é muito rarefeito) e a câmera pode dar zoom em luz ultravioleta, que de outro modo seria absorvida pela camada de ozônio. As variações na radiação solar são particularmente pronunciadas em luz ultravioleta.

Separado do balão, o SUNRISE desceu de paraquedas em 14 de junho, pousando na Ilha Somerset, em território canadense. (imagina você está passeando com seu cachorro e vê um telescópio de 6t descendo de para quedas?)

Toda a informação (material de análise) colhido pelo telescópio somava cerca de 1,8 terabytes. Com base em todas essas informações (e muitas outras que ainda podem ser colhidas) está se iniciando uma intensa pesquisa sobre a atividade solar, visando descobrir muitos mistérios (inclusive aquela história que as manchas solares podem sumir em menos de 20 anos).

 

 

 





VY Canis Majoris (um deus ou um demônio?)

26 10 2009

VY Canis Majoris (VY CMa) é uma estrela vermelha hipergigante localizada na constelação de Canis Major. Entre 1800-2100 raios solares aprox. (2.505.600.000 de 2923200000 km de diâmetro), é a maior estrela conhecida e também uma das mais luminosas. Ela está localizado a cerca de 1,5 kiloparsecs (km 4,6 × 1016) ou cerca de 4.900 anos-luz da Terra. Ao contrário da maioria das estrelas hipergigantes, que ocorrem em ambos os sistemas estelares binários ou múltiplos, VY CMa é uma única estrela. É classificada como uma variável semi-regular e tem um período estimado de 2.000 dias.

O primeiro registro conhecido de VY Canis Majoris é no catálogo de estrelas de Jérôme Lalande, em 7 de março de 1801. O catálogo listado VY CMa como uma estrela de magnitude 7. Novos estudos sobre a sua magnitude aparente durante o século 19 revelou que a estrela vem diminuindo desde 1850.
Desde 1847, VY CMa tem sido conhecido para ser uma estrela vermelha. Durante o século 19, observadores mediram pelo menos seis componentes discretos para VY CMa, sugerindo a possibilidade de que ele é uma estrela múltipla. Estes componentes discretos são conhecidos como áreas brilhantes na nebulosa circundante. Observações visuais em 1957 e imagem de alta resolução em 1998 mostrou que a VY CMa não tem uma estrela companheira.
VY CMa é uma estrela de alta luminosidade M com uma temperatura efetiva de cerca de 3.000 K, colocando-a no canto superior direito do diagrama de Hertzsprung-Russell e sugerindo que ele é uma estrela evoluída. Durante a seqüência principal, que teria sido uma estrela O com uma massa de cerca de 30 a 40 massas solares.

Medindo a Distância
Distâncias Estrelares podem ser calculadas medindo a paralaxe como a Terra orbita em torno do Sol. No entanto, VY

o_O

CMa tem uma paralaxe minúscula com uma alta margem de erro, o que torna pouco confiável para calcular a distância usando esse método.

Em 1976, Charles J. Lada e Mark J. Reid publicou a descoberta de uma brilhante nuvem molecular de aros de 15 minutos de arco a leste de VY CMa. Na ponta da nuvem de fronteira com o aro brilhante, uma queda abrupta das emissões de CO e um aumento no brilho da emissão 12CO foram observados, indicando a possível destruição de material molecular e aquecimento reforço para a nuvem na interface de borda, respectivamente. Lada e Reid assumiram a distância da nuvem molecular é aproximadamente igual ao das estrelas, que são membros do aglomerado aberto NGC 2362, que ionizam o aro. NGC 2362 tem uma distância de 1,5 ± 0,5 kiloparsecs determinado a partir de sua cor diagrama de magnitude.
VY CMa é projetada na ponta da borda, sugerindo sua associação com a nuvem molecular. Além disso, a velocidade da nuvem molecular é muito parecida com a velocidade da estrela. Isto indica ainda a associação da estrela com a nuvem molecular e, conseqüentemente, com a NGC 2362, o que significa VY CMa também está a uma distância de 1,5 KPC.

Tamanho
VY Canis Majoris é a maior estrela conhecida.

C*****!!!

A professora Roberta M. Humphreys da Univarsidade de Minnesota estima que o raio de VY CMa a 1.800 à 2.100 raios solares. Para ilustrar, se o Sol fosse substituído pela VY Canis Majoris, o raio pode estender para além da órbita de Saturno (cerca de 9 AU ). Supondo que o limite de tamanho superior a 2100 raios solares, a luz levaria mais de 8 horas de viagem em torno da circunferência da estrela, comparado a 14,5 segundos para o sol. Levaria mais de 7.000.000.000.000.000 (7 × 1015 ou 7 quatrilhões) Terras para preencher o volume de VY Canis Majoris.

Se a Terra fosse representada por uma esfera de um centímetro de diâmetro, o Sol estaria representado por uma esfera com um diâmetro de 109 centímetros, a uma distância de 117 metros. Nessas escalas, VY Canis Majoris teria um diâmetro de aproximadamente 2,3 km, assumindo que a estimativa de limite de seu raio.
Luminosidade
Em 2006, Humphreys usou a distribuição espectral da energia e da distância de VY CMa para calcular a sua

A estrela libera uma enorme quantidade de gás durante sua combustão

luminosidade. Como a maior parte da radiação proveniente da estrela é reprocessado pela poeira em torno da nuvem, ela integrou os fluxos total sobre a nebulosa inteira e mostrou que VY CMa tem uma luminosidade de 4,3 × 105 na escala de Luminosidade Solar.

Controvérsia

Existem duas opiniões diferentes sobre as propriedades de VY CMa. Em uma, a estrela é uma grande e luminosa hipergigante vermelha. Em outras opiniões (como Massey, Levesque e o estudo de Plez), a estrela é uma supergigante vermelha normal, com um raio de cerca de 600 raios solares. Neste caso, sua superfície se estenderia bem além da órbita de Marte em relação ao nosso sistema solar.

Tal como o seu tamanho, a luminosidade de VY CMa é também o tema de dúvida. A professora Humphreys contesta que a fotometria visual não é o suficiente para as estrelas com poeira estrelar suficiente para reprocessar os fluxos visual e vermelho para o infravermelho termal.

By: Luca Lobo





Ofíuco (curiosidades)

16 10 2009

Ophiuchus, ou Serpentário, é uma das Costelações do zodíaco. É representada por um homem segurando a Serpente, que fica dividida em duas partes no céu, Serpens Caput e Serpens Cauda, sendo mesmo assim contadas como uma única constelação.

Embora já fosse conhecida na Antiguidade, quando se formularam as regras da Astrologia, não é admitida no zodíaco porque há 3 mil anos estava longe da eclítica (eclíptica é o plano da órbita da Terra ao redor do Sol, ou a órbita descrita neste plano). Porém, com a precessão dos equinócios, já se situa entre Sagitário e Escorpião.Na

A 13 costelação

A 13 costelação

verdade as próprias constelações do Zodíaco não seguem mais o ritmo descrito na Astrologia atualmente, se posicionado mais atrasadas em relação aos dias estipulados; Os astrólogos herméticos usam a elipse como estava disposta na Antiguidade, e excluem Ophiucus.
ophiucus
Na mitologia grega, Ofiúco corresponde a Asclepio, filho do deus Apolo e da mortal Corônides. Desenvolveu tal habilidade na medicina que acreditava-se que tinha poder de ressuscitar os mortos. Ofendido, Hades pediu a Zeus que o matasse, por violar a ordem natural das coisas — e Zeus concordou. No entanto, como tributo a seu valor, decidiu colocá-lo no céu rodeado por uma serpente, símbolo da vida que se renova. Em qualquer caso, aqui estão as datas para aqueles que querem mudar de signo, eu não o faria….

Aríes
19 de abril a 13 de maio

Touro
14 de maio a 19 junho

Gemeos
20 junho a 20 julho

Cancer
21 de julho a 9 de agosto

Leao
10 de agosto a 15 de setembro

Virgem
16 de setembro a 30 de outubro

Libra
31 de outubro a 22 novembro

Escorpiao
23 de novembro a 29 de novembro

Ofiúco
30 de novembro a 17 de dezembro

Sagitario
18 de dezembro a 18 de janeiro

Capricornio
19 de janeiro a 15 de fevereiro

Áquario
16 de fevereiro a 11 de março

Peixes
12 de março a 18 de Abril